Tradução: Plinio Augusto Coelho. São Paolo: Editora Imaginario; Expressão & Arte editora; Expressão & Arte Editora, 2011. Brochura (12 x 18). 95 p. ISBN: 9788579350160

A felicidade, tal como a compreendemos, não é uma simples fruição pessoal. É verdade que ela é individual no sentido que “cada um é o próprio artesão de sua felicidade”, mas não é verdadeira, profunda, completa senão se estendendo sobre toda a humanidade, (...) Não é tal ou qual estágio da existência pessoal e coletiva que constitui a felicidade, é a consciência de caminhar para um determinado objetivo, que queremos e criamos parcialmente por nossa vontade. Ordenar os continentes, os mares e a atmosfera que nos envolve, “cultivar nosso jardim” terrestre, distribuir novamente e regular as convivialidades para favorecer cada vida individual de planta, animal ou homem, adquirir definitivamente consciência de nossa humanidade solidária, fazendo corpo com o próprio planeta, nosso objetivo próximo, nosso ideal distante, é nisso que consiste o progresso.

Derniers commentaires

Les grandes dates de la vie de Reclus
Un détail: la maison de Clarens a été construite alors que Reclus et sa famille étaient à Vevey, (...)